Curso para Gestantes

Grupo Espírita Bezerra de Menezes

A higiene do bebê
Sexta aula

6.0 - O BANHO

Todos os bebês gostam muito de estar na água, talvez porque tenham ficado durante nove meses num meio líquido, onde desfrutaram de um completo bem estar. Se o seu bebê está chorando para tomar banho, alguma coisa está errada, porque o banho é para ele um momento de prazer. Talvez você esteja segurando-o de maneira indevida, fazendo movimentos bruscos que o incomodam. Imagine você sem roupas, nos braços de um gigante, sendo segurado de barriga para cima. A sensação deve ser de estar prestes a cair num abismo infinito. Assim também deve ser a impressão que o seu bebê terá, se não for segurado com mãos firmes e aconchegado com carinho contra o seu corpo.

Dar banho no bebê não é tão difícil quanto possa parecer. Inicialmente, segure-o de frente com a barriguinha para cima, passe o braço esquerdo por suas costas, segurando-o firmemente pela axila esquerda. Desse modo, a cabecinha fica inteiramente apoiada no antebraço e punho da mãe. Assim o bebê se sentirá seguro. É nessa posição que o bebê deve ser colocado na água, com o apoio adicional da mão direita espalmada sob suas nádegas e coxinhas. Ela só deve ser retirada quando o bebê estiver relaxado e à vontade, usando-a para lavá-lo.

Uma vez lavada toda a parte da frente, que deverá ser iniciada pelo rosto e cabelo, não se esquecer das dobrinhas e dos órgãos genitais. Será necessário virar o bebê de bruços para lavar as costas. Com a ajuda da mão direita, girá-lo sobre o braço esquerdo, em que está apoiado, de modo que a mão esquerda, que antes apoiava a axila esquerda, passe a segurar a axila direita. O antebraço agora dará apoio ao peitinho e ao rostinho. Uma vez que o bebê esteja bem acomodado, liberte a mão direita para lavá-lo com carinho.

Certos cuidados devem ser tomados para prevenir transtornos no momento do banho. O primeiro deles é a organização de todo o material a ser utilizado, como toalha, roupas, material de limpeza etc, para que não seja necessário desviar a atenção do bebê.

Abaixo, alguns procedimentos que não devem ser esquecidos:

  1. Colocar algodão em forma de bolinhas no ouvido para evitar a entrada de água, sabão ou shampoo, pois esses produtos causam danos ao ouvido;
  2. A banheira deve ser de uso exclusivo do bebê, evitando que seja contaminada com fungos ou microrganismos estranhos;
  3. A temperatura da água deve ser a mesma que a do nosso corpo, 36º a 37ºC. Testá-la com o antebraço, antes de colocar nela o bebê;
  4. Deve-se evitar correntes de ar no ambiente do banho para que ele não se resfrie com mudanças bruscas de temperatura.
  5. Enxugue bem todas as dobrinhas, o umbiguinho e o ouvidinho.
  6. Após o banho, o bebê deve ser vestido no mesmo local, evitando assim, que o corpo esfrie em demasia.
  7. Procurar manter sempre o mesmo horário para o banho. Isso fará com que o nenê fique disciplinado e lhe trará tranqüilidade e bem estar.
  8. Se o bebê chorar, procure descobrir a causa, pois o banho é para ele um momento de prazer.

6.1 - O COTO UMBILICAL

O "coto umbilical" é a pequena parte do cordão umbilical que fica ligada à barriga do recém-nascido. Geralmente ele cai entre 7 a 12 dias de vida e, em alguns casos, poderá demorar mais sem que isso deva representar motivo de preocupação.

Deve-se cuidar para que haja uma correta higiene no coto umbilical para evitar infecções. O cuidado com o coto é muito simples e deve ser feito com as mãos sempre bem lavadas. Aplique sobre o local uma solução de merthiolate incolor ou álcool iodado. Coloque sobre o umbiguinho um pedaço de gaze esterilizada ou deixe livre, sem gaze. As faixas umbilicais não devem ser usadas.

O curativo do coto umbilical deve ser renovado sempre que se contamine com urina ou fezes da criança.

6.2 - O SONO DO BEBÊ

Nos primeiros dias de vida, o recém-nascido permanece mais tempo dormindo do que acordado. O estado de vigília se dá somente quando ele está com fome ou desconfortável por alguma razão. O bebê necessita de ambiente calmo e silencioso para permanecer tranquilo. Os ambientes barulhentos e conturbados deixam-no agitado e excitado em demasia. Vista-o com roupinhas confortáveis de acordo com a temperatura da época.

O bercinho deve ser colocado em lugar arejado, fresco, mas livre de correntes de ar. O colchão deve ser firme, antialérgico e estar forrado com lençol limpo. Não deixe objetos soltos no berço, pois eles podem machucar o bebê. Observe o vão entre as grades. Esse espaço não deve ser largo a ponto de permitir a passagem da cabeça do bebê, pois ele poderá se machucar.

Quando todos esses itens forem observados e cumpridos, será hora de colocar o bebê para dormir. A posição mais favorável nos primeiros dias, até que o umbigo venha a cair, será deitá-lo de lado.

Depois dessa fase, será bom acostumá-lo a dormir de bruços e sem travesseiro. Assim, o bebê não correrá perigo de aspirar secreções ou vômitos. Além disso, essa posição diminui a incidência de cólicas e, por ser relaxante, o fará dormir melhor.

6.3 - CUIDADO COM AS ROUPAS

As fraldas precisam receber um cuidado todo especial para manter a saúde do bebê.

Não amontoe fraldas sujas, pois elas provocam o desenvolvimento de bactérias que causam doenças de pele.

Esse cuidado deve ser iniciado no momento em que as fraldas são retiradas, devendo ser lavadas e colocadas de molho em água e sabão neutro. Não utilize produtos químicos, como alvejantes e gomas. Esses elementos podem causar irritações na pele do nenê ou ainda problemas respiratórios.

Utilize um recipiente de uso exclusivo para o bebê e não lave suas fraldinhas junto com as outras roupinhas dele.

As fraldas deverão ser enxaguadas várias vezes até que a água fique transparente, mostrando não haver mais resíduos de sabão. Elas deverão ser fervidas uma vez por semana, com água e vinagre na seguinte proporção: para cada litro de água usar uma colher de sopa de vinagre.

Lembrete: o uso de alfinetes para prender as fraldas é desaconselhável, pois podem causar acidentes ferindo a barriguinha do bebê. Eles poderão ser substituídos com sucesso pela fita crepe.

6.4 - BROTOEJAS, ASSADURAS E IRRITAÇÕES

O aparecimento da "brotoeja" e das assaduras está relacionado com a sensibilidade individual da pele do nenê, associada às condições de higiene insatisfatórias. Uma maneira prática para manter o bebê limpo é usar água morna para sua higienização, previamente fervida.

Toda vez que trocar a criança, use uma pomada antiassadura para que sua pele fique protegida do contato de novas fezes e urina.

Não utilize produtos hidratantes ou similares sem orientação médica, pois eles podem trazer problemas de sensibilização de pele muito cedo para o seu bebê. O talco não deverá ser usado em tempo algum, pois traz sérios transtornos respiratórios.

Grupo Espírita Bezerra de Menezes
São José do Rio Preto - SP