- D -

Dedução [do latim deductione] – 1. O que resulta de um raciocínio; conseqüência lógica; ilação; inferência; conclusão. 2. Processo pelo qual, com base em uma ou mais premissas, se chega a uma conclusão necessária, em virtude da correta aplicação das regras lógicas.

Deísmo [do latim deus,i > de(i)- + -ismo] - Sistema ou atitude dos que, rejeitando toda espécie de revelação divina, e portanto a autoridade de qualquer igreja, aceitam, todavia, a existência de um Deus, destituído de atributos morais e intelectuais, e que poderá ou não haver influído na criação do universo.

Delírio [do latim deliriu] - Estado mental confuso, associado a graves disfunções cerebrais e que se caracteriza por distúrbios na consciência e no sistema sensorial: desorientação, alucinação, ilusão, inquietação, delusão e, por vezes, acentuada agitação.

Delusão [do latim delusione] 1. Engano, logro, burla. 2. Crença numa idéia ou grupo de idéias obviamente contrárias à lógica, à realidade do meio externo ou às crenças corretamente aceitas da cultura do indivíduo.

Demônio [do latim daemo, feito do grego daimon= gênio, sorte, destino, manes] – São todos os seres incorpóreos, bons ou maus, e que se supõe terem conhecimento e poder superiores aos dos homens. Nas línguas modernas, esta palavra é geralmente tomada em má acepção, que se restringe aos gênios malfazejos. Segundo o Espiritismo, não há demônio no sentido de seres criados para o mal e eternamente desgraçados, mas sim significando Espíritos imperfeitos, que podem, todos, aperfeiçoarem-se por seus esforços e por sua vontade.

Demonografia [do latim daemo, feito do grego daimon + graf(o) + -ia] O mesmo que Demonologia.

Demonologia [do latim daemo, feito do grego daimon + logo(s) + -ia] – Tratado da natureza e da influência dos demônios.

Demonomancia [do grego daimon e manteia= adivinhação] – Pretenso conhecimento do futuro pela inspiração dos demônios.

Desdobramento [do latim des- + duplare > dobra + -mento] – Estado de emancipação da alma, quando a mesma se projeta ao Mundo Espiritual. Ver: emancipação da alma.

Desejo [do latim vulgar desidiu]– 1. Vontade de possuir ou de gozar. 2. Anseio, aspiração. 3. Cobiça, ambição.

Desencarnação [do latim des + incarnatione] – Ato ou efeito de desencarnar, isto é, deixar a carne, passar para o Mundo Espiritual. É quando deixar de atuar o princípio vital, gerando, em conseqüência, a desorganização do corpo, desprendendo-se o perispírito, molécula a molécula, conforme se unira, e restituindo ao Espírito a liberdade. Não é a partida do Espírito que causa a morte do corpo; esta é que determina a partida do Espírito, tanto que desencarnação é libertação da alma, morte é outra coisa, a cessação da vida e degenerescência da matéria. Ver: Morte.

Desobsessão [do latim des- + obsessione] – 1. Em sentido restrito: é o tratamento das obsessões orientado pela Doutrina Espírita, em reuniões especializadas. 2. Em sentido amplo: processo de regeneração da Humanidade, através da renovação moral dos envolvidos que, assim, desvinculam-se do passado sombrio e vencem a si mesmos. Ver: Obsessão.

Determinismo [do latim determinare + -ismo] - Teoria que afirma correlações indispensáveis entre fenômenos, um sendo condicionado ao precedente e condicionando os que lhe sucedem.

Deus [do latim deus] Inteligência suprema, causa primária de todas as coisas. Eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.

Diabo [do grego diabolos= delator, acusador, maldizente, caluniador] – Conforme a Doutrina dos Espíritos, constitui-se a personificação do mal; é um ser alegórico, resumindo em si todas as paixões más dos Espíritos imperfeitos.

Dialética [do grego dialektikós, pelo latim dialecticu] – 1. Argumentação dialogada, segundo a filosofia antiga. 2. Desenvolvimento de processos gerados por oposição que provisoriamente se resolvem em unidades (tese e antítese; numa categoria superior – a síntese)

Diálogo [do grego diálogos, pelo latim dialogus] – 1. Entendimento através da palavra, conversação, colóquio, comunicação. 2. Discussão ou troca de idéias, conceitos, opiniões, objetivando a solução de problemas e a harmonia.

Diáspora [do grego diasporá= dispersão] - A dispersão dos judeus no decorrer dos séculos, depois do ano setenta.

Dicionário [do latim medieval dictionariu] – Conjunto de vocábulos de uma língua ou de termos próprios de uma ciência ou arte, geralmente dispostos em ordem alfabética, contendo os respectivos significados ou versões em outra língua.

Didática [do grego didaskein= ensinar] – 1. Arte e técnica de ensinar, de dirigir e orientar a aprendizagem. 2. O estudo dessa técnica.

Diletantismo [do italiano dilletante + -ismo] - Jogo de idéias sem o propósito de estabelecer a verdade.

Dinamismo [do grego dýnamis + -ismo] - Teoria que identifica a matéria com a força e a energia.

Disciplina [do latim disciplina] – 1. Regime de ordem imposta ou livremente consentida. 2. Observância de preceitos e normas. 3. Qualquer ramo do conhecimento, o que se aprende. 4. Ensino, instrução, educação.

Discípulo [do latim discipulus, de discere= aprender] – 1. Aquele que aprende. 2. Aquele que recebe ensino de alguém. 3. Aquele que segue as idéias ou doutrinas de outrem, p. ex., discípulos de Jesus.

Discórdia [do latim dis= separação + cord= coração + -ia] - 1. Desavença, desarmonia, desentendimento. 2. Desordem, luta, conflito. 3. Dissenção, desacordo.

Discurso [do latim discursu] - Encadeamento de conceitos e de noções, apresentando-se sob a forma de juízos, que constitui a expressão do pensamento racional.

Dissenção [do latim dissensione] – 1. Divergência de opiniões ou de interesses. 2. Desavença, desinteligência, dissidência.

Dissidência [do latim dissidentia] – 1. Separação por divergência de opiniões ou de interesses. 2. Cisma, cissão. Ver: Dissenção.

Divórcio [do latim divortiu] – 1. Dissolução do vínculo matrimonial, liberando os divorciados para novas núpcias. 2. Separação, desunião, afastamento, desligamento.

Dogma [do grego dógma, pelo latim dogma] – 1. Ponto fundamental e indiscutível de uma doutrina religiosa, e, por extensão, de qualquer doutrina ou sistema. 2. Na Igreja Católica Romana, ponto de doutrina já por ela definida como expressão legítima e necessária de sua fé. 3. Pelo seu caráter racionalista, o Espiritismo não adota dogma de fé, isto é, ponto doutrinário indiscutível, tanto que preconiza a correção onde estiver comprovadamente em erro, com a adoção de novas verdades científicas.

Dor [do latim dolore] – 1. Impressão desagradável ou penosa, proveniente de lesão, contusão ou estado anômalo do organismo ou de uma parte dele; sofrimento físico. 2. Sofrimento moral; mágoa, pesar, aflição.

Doutrina [do latim doctrina] – 1. Conjunto de princípios que serve de base a um sistema religioso, político, filosófico, científico, etc. . 2. Conjunto de juízos e das interpretações próprias de um filósofo ou de uma escola.

Doutrinação [do latim doctrina + actione] - Ato ou efeito de doutrinar, orientar e esclarecer Espíritos rebeldes, ignorantes, maus ou refratários àquilo que o doutrinador prega ou ensina.

Duende [do espanhol duende] – Espírito travesso, mais traquina que mau, que pertence à classe dos Espíritos levianos.

Duplo Etéreo – Algumas regiões do Brasil preferem duplo etéreo a perispírito, embora mantendo-se o sentido deste. Há porém de se diferenciar o duplo etéreo - apontado pelos pesquisadores do magnestismo - , do perispírito propriamente dito. O primeiro refere-se ao conjunto de interações de natureza magnética que é inerente a vida e que somente com esta pode se manifestar, desfazendo-se com a morte do corpo físico. Já o perispírito não é da mesma natureza magnética, - embora parcialmente vinculado a ela pelo princípio vital, quando da encarnação -, e, por servir de involúcro semimaterial do Espírito, persiste depois da separação do corpo. As definições de duplo etéreo são vastas e, muita vez, até opostas. O conceito de perispírito permanece consolidado nas definições kardequianas.