- I -

Idealismo [do latim ideale + -ismo] - Nome genérico de diversos sistemas filosóficos modernos que reduzem as coisas a alguma entidade de ordem subjetiva, ao espírito, p.ex., o ser ao pensamento.

Ideoplastia [do grego idéa= idéia, aparência + plásso ou plátto= modelar + -ia] – 1. Modelagem da matéria pelo pensamento. 2. A materialização do pensamento, criando formas que às vezes se revestem de grande duração, conforme a persistência da onda em que se expressam.

Idiossincrasia [do grego idiosygkrasía] – Característica que individualiza o ser, a sua maneira peculiar de ver, de sentir e de reagir.

Ignorância [do latim ignorantia] - 1. Estado da mente em que não se formula qualquer juízo acerca de um objeto. 2. Carência de conhecimento devido.

Iluminado [do latim -> particípio de iluminar= iluminare]– 1. Qualidade dada a certos indivíduos que se pretendem esclarecidos por Deus, de maneira particular, e que são considerados geralmente como visionários ou doentes mentais. 2. Sob esta denominação foram confundidos todos os que recebem comunicações inteligentes e espontâneas da parte do Espíritos. Se neste número houve homens superexitados por uma imaginação exaltada, conhece-se hoje a parte que se deve atribuir à realidade.

Imagens-moldes – O mesmo que Formas-pensamento. Ver: Ideoplastia.

Inatismo [do latim innatu + -ismo] - Corrente filosófica que admite a existência de princípios e idéias inatas, independentes da experiência.

Inconsciente [do latim in + consciente] - Conjunto dos processos e fatos psíquicos que atuam sobre a conduta do indivíduo, mas que escapam ao âmbito da consciência, para a qual não podem ser trazidos por esforço da vontade ou da memória. Podem aflorar, porém, nos sonhos, nos atos falhos, nos estados neuróticos ou psicóticos, ou seja, quando a consciência não está vigilante.

Incorporação [do latim incorporatione] – 1. Ato ou efeito de incorporar(-se). 2. O termo incorporação tem sido aplicado inadequadamente à mediunidade psicofônica, pois não tem como dois espíritos ocuparem o mesmo corpo. No entanto, alguns teóricos espíritas afirmam que a incorporação se dá quando o Espírito, ainda que sob o controle do médium, tem a liberdade de movimentar por completo o corpo do mesmo, o que seria também chamado de psicopraxia. Ver: Psicofonia.
Ato em que o espírito desencarnado "entra" no corpo do médium para uma interação com os demais encarnados.O espírito do médium cede lugar momentaneamente para o espírito animador. Este sempre permanece no aparelho por algum tempo, sendo totalmente impossível uma incorporação mais duradoura.O espírito que incorpora em um corpo pode doar ou sugar energias do corpo que lhe acolhe, dependendo do grau de adiantamento do espírito em questão.O espírito do médium permanece ligado a seu corpo pelo "cordão-de-prata".A incorporação é um dos mais interessantes e praticados fenômenos espíritas.Suas possibilidades são muitíssimo vastas, não só do ponto de vista da comunicação efetiva com o espírito como sua interação com o meio físico mais própiamente.Verifica-se, em muitos casos, um grande desgaste por parte do espírito logo após a desincorporação, possivelmente devido a grande troca energética que se verifica entre o espírito, o médium e o meio. (Leitura básica: "O livro dos médiuns" de Allan Kardec)(ver "Cordão-de-prata")

Incorporar [do latim incorporare] - 1. Dar forma corpórea a. 2. Unir, reunir, juntar em um só corpo ou em um só todo. 3. Entrar a fazer parte, ingressar.

Íncubo [do latim incubu] – 1. Que se deita sobre algo. 2. Segundo velha crença popular, demônio (Espírito) masculino que pelas noites vem copular com uma mulher, perturbando-lhe o sono. Ver súcubo.

Indivíduo [do latim individuu] – 1. A pessoa humana com suas particularidades físicas e psíquicas que a tornam única. 2. O exemplar de uma espécie qualquer, orgânica ou inorgânica, que se constitui uma unidade distinta. 3. Popularmente, uma pessoa qualquer, cujo nome não se quer dizer; sujeito, cidadão. 4. Indiviso.

Indução [do latim inductione]- 1. Operação mental que consiste em se estabelecer uma verdade universal ou uma proposição geral, com base no conhecimento de certo número de dados singulares ou de proposições de menor generalidade. 2. Analisando diversos fenômenos particulares, o filósofo induz uma proposição geral.

Induzir [do latim inducere] – 1. Causar, inspirar, incutir. 2. Inferir, concluir, deduzir. 3. Mover, levar, arrastar. 4. Instigar, sugerir, persuadir. 5. Fazer cair ou incorrer.

Infância [do latim infantia] – 1. Período de crescimento e desenvolvimento, no ser humano, que vai do nascimento até a puberdade. 2. Época em que se é criança; meninice, puerícia.

Infante [do latim infante] - Aquele que está na infância; criança, infantil.

Instinto [do latim instinctu]Espécie de inteligência rudimentar que dirige os seres vivos em suas ações, à revelia de sua vontade e no interesse de sua conservação. O instinto torna-se inteligência quando surge a deliberação. Pelo instinto, age-se sem raciocinar; pela inteligência, raciocina-se antes de agir. No homem, confundem-se freqüentemente as idéias instintivas com as idéias intuitivas. Estas últimas são as que ele hauriu, quer no estado de Espírito, quer nas existências anteriores e das quais ele conserva uma vaga lembrança.

Instruir [do latim instruere] – 1. Transmitir conhecimentos a, ensinar. 2. Habilitar, exercitar, preparar para. 3. Esclarecer, informar, cientificar.

Intelectualismo [do latim intellectuale + -ismo] - Doutrina filosófica que exalta o predomínio da inteligência sobre a vontade e o sentimento.

Inteligência [do latim intelligentia]– Faculdade de conceber, de compreender e raciocinar. Seria injusto recusar aos animais uma espécie de inteligência e acreditar que eles apenas seguem maquinalmente o impulso cego do instinto. A inteligência deles é sempre limitada à satisfação das necessidades materiais, ao passo que a do homem lhe permite elevar-se acima da condição de humanidade. A linha de demarcação entre os animais e o homem é traçada pelo conhecimento que, a este é dado ter, do Ser Supremo.

Interdimensional [do latim inter + -dimensione + -al] - É o que se refere às várias dimensões ou planos existenciais; aquilo que ocorre entre dimensões diferentes de vida.

Interesse [do latim interesse] – 1. Aquilo que convém, que importa, seja em que domínio for. 2. Sentimento de zelo, simpatia, preocupação ou curiosidade por alguém ou alguma coisa. 3. Procura de vantagem pessoal, de proveito. 4. Sentimento de cobiça, avidez.

Intuição [do latim intueri= intuir + -ção] - 1. Ato de ver, perceber, discernir; percepção clara ou imediata. 2. Ato ou capacidade de pressentir. 3. Contemplação pela qual se atinge em toda a sua plenitude uma verdade de ordem diversa daquelas que se atingem por meio da razão ou do conhecimento discursivo ou analítico. Ver: Instinto.

Inumação [do latim inhumare] – Ato de inumar, sepultamento, enterro.

Inumar [do latim inhumare] – Sepultar, enterrar.

Invocação [do latim in= em + vocare= chamar] – Ver: Evocação.

Irradiação [do latim irradiare= irradiar + -ção] Transmissão de fluidos espirituais à distância ou passe à distância.