- L -

Lei [do latim lege]- 1. Norma, preceito, princípio, regra. 2. Obrigação imposta pela consciência e pela sociedade. 3. Fórmula geral que enuncia uma relação constante entre fenômenos de uma dada ordem; lei natural. 4. As leis morais, divinas ou naturais, conforme relacionadas pela Doutrina Espírita: lei de adoração, lei do trabalho, lei de reprodução, lei de conservação, lei de destruição, lei de sociedade, lei do progresso, lei de igualdade, lei de liberdade, lei de justiça, de amor e de caridade.

Lei da ação e reação ou Lei do Carma - Essa é outra importante lei que o espiritismo ensina.Segundo ela tudo de bom ou ruim que hoje você fizer amanhã essa mesma coisa irá lhe beneficiar ou prejudicar.Ou seja "a cada um será dado de acordo com suas obras".Por exemplo, uma pessoa que hoje mata uma outra, amanhã ,(leia-se: em outra vida), poderá ser assassinado. Tudo o que a pessoa faz fica registrado.E assim tudo o que pesar a seu favor lhe será dado como mérito e aquilo que vier contra ele, lhe será cobrado.Essa lei também explica muitos sofrimentos "inexplicáveis".Por exemplo, uma pessoa boa, caridosa, querida por todos,de repente sofre um acidente e passa amargar,o resto de seus dias inutilizado.Estaria Deus cometendo tal injustiça?À visão de outras religiões que não aceitam a reencarnação, sim.Mas não á luz do espiritismo.Aquela pessoa boa e caridosa poderia ter sido um cruel assassino numa outra vida e estaria resgatando assim sua dívida.É importante ressaltar que não existe escapatória ou subterfúgios perante às leis de Deus.Existe sim, uma possível abreviação do carma.Através da prática do bem e da caridade, um espírito pode diminuir sua dívida cármica.
(Leitura básica: "O livro dos espíritos"de Allan Kardec, "Ação e reação"de André Luiz e psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier e "O céu e o inferno" de Allan Kardec)(ver Expiação)

Lei da evolução - é a lei a que todos os espíritos estão subordinados.Todos os espíritos progridem. Jesus, o espírito mais iluminado que já encarnou na terra, já foi um antropófago, um selvagem.Assim como um assassino chegará, mais tempo menos tempo, de acordo com o seu progresso ,a ser um regente espiritual de um planeta , um anjo, um arcanjo e assim por diante.É a lei que mais deixa clara a tão falada justiça divina, que muitas religiões apregoam mas se contradizem em seus ensinamentos, e só a doutrina espírita sob a luz dos ensinamentos reencarnatórios explica com clareza. Não há espíritos criados á parte como ensinam outras religiões.Todos são criados da mesma chama divina e todos espíritos são parte desse todo cósmico.Tomando em consideração isso, é lícito dizer que todos nós chegaremos um dia a sermos cristos.Assim como já fomos aborígenes, antropófagos e mais para o passado, animais, vegetais,minerais...De acordo com a lei da evolução que proporciona á todos os espíritos chances iguais de progresso.E todos eles irão irão invariávelmente progredir.
(Leitura básica: "O livro dos espíritos" de Allan Kardec, "A gênese" de Allan Kardec , "Evolução em dois mundos" ditado pelo espírito André Luiz e psicografado pelos médiuns Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira e "O que é o espiritismo"de Allan Kardec)

Léon Denis - foi o consolidador do Espiritismo. Não foi apenas o substituto e continuador de Allan Kardec, como geralmente se pensa. Denis tinha uma missão quase tão grandiosa quanto à do Codificador. Cabia-lhe desenvolver os estudos doutrinários, continuar as pesquisas mediúnicas, impulsionar o movimento espírita na França e no Mundo, aprofundar o aspecto moral da Doutrina e sobretudo consolidá-la nas primeiras décadas do Século. Nessa nova Bíblia ( o Espiritismo) o papel de Kardec é o sábio e o papel de Denis é o de filósofo.
Léon Denis nasceu em 1 de Janeiro de 1846, em Foug, na Lorena francesa e desencarnou em Tours, em 12 de abril de 1927, com 81 anos incompletos. Seus pais foram a senhora Anne-Lucie e o mestre de pedreiro e ferroviário Joseph Denis.

Letargia [do grego lethargía, pelo latim lethargia] - 1. Estado patológico caracterizado por um sono profundo e contínuo, no qual as funções da vida estão de tal modo atenuadas que parecem suspensas. 2. Perda temporária da sensibilidade e do movimento.

Levitação [do latim levitu] – Ato ou efeito de erguer objetos ou pessoas acima do solo, sem esforço corporal.

Libido [do latim libido]- 1. Instinto ou desejo sexual. 2. Conceito freudiano denotando a energia gerada pelos impulsos sexuais, força ativa e criativa do ser humano.

Licantropia [do grego lykanthropía] – 1. Doença mental em que o enfermo se julga transformado em lobo. 2. Metamorfose perispirítica, processada através de indução hipnótica, do desencarnado inferiorizado em suas culpas, que ganha a forma e passa a agir como um lobo. Espécie de Zoantropia.

Licantropo [do grego lykaánthropos] – 1. Alienado que sofre de licantropia.. 2. Por extensão, Lobisomen.

Livre-arbítrio 1. Liberdade de juízo e de conduta, entendida como resultado puro da vontade, quando perante uma escolha. 2. É a liberdade moral do homem, faculdade que ele tem de se guiar pela sua vontade na realização de seus atos. Os Espíritos ensinam que a alteração das faculdades mentais, por uma causa acidental ou natural, é o único caso em que o homem fica privado de seu livre-arbítrio. Fora disso, é sempre senhor de fazer ou de não fazer. Ver: Fatalidade.

Lobisomem [do latim lupus homo= homem lobo] – 1. Pela crendice popular, o homem que se transforma em lobo nas noites de lua cheia, vagando pelas estradas e assustando as pessoas. 2. Igual a licantropo, ou seja, aquele que sofre de licantropia.

Lógica [do grego logiké, pelo latim logica] - 1. Na tradição clássica, aristotélico-tomista, conjunto de estudos que visam a determinar os processos intelectuais que são condição geral do conhecimento verdadeiro. 2. Conjunto de estudos tendentes a expressar em linguagem matemática as estruturas e operações do pensamento, deduzindo-as de número reduzido de axiomas, com a intenção de criar uma linguagem rigorosa, adequada ao pensamento científico tal como o concebe a tradição empirístico-positivista. 3. Popularmente, a atitude ou situação adequada à coerência de raciocínio.

Loucura e afetações psíquicas - o espiritismo explica a loucura assim como todas as deformações psíquicas do caráter humano pela lei da ação e reação.Um espírito padecedor de loucura, em todas suas formas assim como desvios do caráter como esquizofrenias, personalidades psicóticas, etc, expia por erros pregressos, geralmente graves.Ninguém nasce louco por obra do destino ou por negligência ou danação de Deus.Explicar assim um estado de loucura em um indivíduo é negar a bondade, a onicognisciência, a infabilidade e a onipotência do mesmo.Por exemplo: um indivíduo mata, estupra, tortura ou comete atrocidades contra o gênero humano em uma encarnação.Fatalmente sua expiação correspondente poderá ser a de apresentar um estado de loucura em uma vida seguinte.Porém é bom alertar que isso não é uma regra para a determinação de penas expiatórias.O carma de um indivíduo que comete atrocidades é um carma muito negativo e não raro não lhe basta uma encarnação expiatória para que o mesmo possa se redimir de seus erros.O tema é muito complexo e para isso aconselhamos a leitura da seguinte obra que explana de maneira completa e profunda este tema:
(Leitura básica: "A loucura sob novo prisma" pelo Dr.Bezerra de Menezes)