Bem Aventurados os Pobres de Espírito

Grupo Espírita Apóstolo Paulo

BEM-AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO, PORQUE DELES É O REINO DOS CÉUS (MATEUS, V:3)

Orgulho e humildade
Ao dizer que o Reino dos Céus é para os simples, Jesus ensina que ninguém será nele admitido sem a simplicidade de coração e a humildade de espírito. (O Evangelho Segundo o Espiritismo, VII: 2)

Mistérios ocultos aos sábios e prudentes
Naquele tempo, respondendo, disse Jesus: Graças te dou a ti, Pai, senhor do céu e da terra, porque escondestes estas coisas aos sábios e prudentes, e as revelastes aos simples e pequeninos. (Mateus XI: 25)

Quem se elevar será rebaixado
- O Espiritismo vem confirmar a teoria pelo exemplo, ao mostrar que os grandes no mundo dos espíritos são os que foram pequenos na terra, e que frequentemente são bem pequenos os que foram grandes e poderosos. (O Evangelho Segundo o Espiritismo, VII: 6)

Acima, colocamos um exemplo de como a palestra pode ser apresentada em uma lousa. A seguir, os comentários que podem ser feitos a cada item em destaque.

BEM-AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO, PORQUE DELES É O REINO DOS CÉUS

Esta palestra tem o objetivo de esclarecer a necessidade de se combater o orgulho e o egoísmo, e quais são as consequências práticas destes atos.
É necessário explicar primeiro o que Jesus quis dizer com pobres de espírito. São as pessoas que não querem ser o centro das atenções, que não buscam só o seu destaque individual, mas sim, trabalham para a coletividade, mesmo que isso venha a incomodar sua própria vida. Os pobres de espírito são as pessoas que buscam o conhecimento, a riqueza interior, deixando as aparências exteriores em segundo plano. Estas pessoas cultivam a humildade e a caridade e por isto o Reino dos Céus será delas.
Mas, o que seria o Reino dos Céus? Questione o público, e vá à parte seguinte.

Ao dizer que o Reino dos Céus é para os simples, Jesus ensina que ninguém será nele admitido sem a simplicidade de coração e a humildade de espírito.

Reino dos Céus não é um local, uma cidade ou mesmo o céu material do nosso planeta. Mas sim, é um estado de espírito, que pode ser conseguido mesmo nesta vida. Este estado abrange a paz e a felicidade interiores, alcançados com a aplicação dos ensinos de Jesus no nosso dia-a-dia e com o aprendizado contínuo. Fale aos presentes que isto só se adquire com a humildade. É só o sentimento da humildade fará o homem reconhecer os seus erros e defeitos e a necessidade de melhoria interior.

Naquele tempo, respondendo, disse Jesus: Graças te dou a ti, Pai, senhor do céu e da terra, porque escondestes estas coisas aos sábios e prudentes, e as revelastes aos simples e pequeninos.

Nesta passagem, Jesus dá graças ao Pai porque Ele escondeu os conhecimentos espirituais dos que se julgam sábios e prudentes e os revelou aos simples e pequeninos. Por que Jesus faz isso? É que sábio, naquela época, tinha a conotação de sabichão, ligado mais ao orgulho de se possuir um certo conhecimento intelectual, mas que não era necessariamente a verdadeira sabedoria. Só tomamos posse do conhecimento intelectual quando nos posicionamos com humildade perante a vida e as leis que a regem. Diga que só assim iremos transformar em sabedoria a informação intelectual que temos.
Lembre ao público de que não adianta nada estudarmos toda a codificação espírita e os evangelhos se não aplicarmos estes valiosos ensinos para modificarmos o nosso comportamento. Nossa visão da vida que nos rodeia deve ser reavaliada, e para isto, reafirme mais uma vez, precisamos cultivar dentro de nós a humildade e a fé racional.

O Espiritismo vem confirmar a teoria pelo exemplo, ao mostrar que os grandes no mundo dos espíritos são os que foram pequenos na terra, e que frequentemente são bem pequenos os que foram grandes e poderosos.

A Doutrina Espírita nos mostra racionalmente a necessidade do combate ao orgulho. Demonstra através da reencarnação que tudo o que plantarmos nós colheremos, ou seja, se nos elevarmos através do orgulho, colocando-nos acima dos nossos irmãos de vida, nós seremos rebaixados no mundo espiritual. Assim, a consequência da lei de ação e reação será a de também rebaixar-nos em uma futura reencarnação. Daí, surgem as dificuldades e problemas que não entendemos porque temos, mas que têm sua origem em nossos atos pretéritos. Se ao contrário, nós nos posicionarmos de uma forma humilde perante a vida e nossos irmãos, seremos grandes no mundo espiritual, e numa próxima reencarnação não existirá o sofrimento. Saliente que os grandes no mundo material, que algum dia poderá ser um de nós, devem também agir com humildade e simplicidade, tratando os que dependem deles com respeito e misericórdia, fazendo jus à responsabilidade que Deus lhe concedeu: o dinheiro.
Encerre mostrando que o objetivo de nossa vida aqui na terra só será atingido com a humildade. Este objetivo é o aprendizado através das mais variadas oportunidades que a experiência reencarnatória nos oferece. Seja vivenciando os problemas, as dificuldades e mesmo as mais banais situações diárias. A vida é essencialmente uma escola, e só cresce nesta escola aquele que combate o seu orgulho e o substitui pela qualidade indispensável ao aprendizado, que é fazer ao próximo o que se deseja para si mesmo. Isso ajudará o nosso espírito nesta vida, ao contrário do orgulho, que cristaliza o nosso ego na teimosia e na falsa grandeza, trazendo-nos, cedo ou tarde, o sofrimento.

Copyright by Grupo Espírita Apóstolo Paulo