Escolha das provas

"O Livro dos Espíritos" - Questões 265 a 273

Estudo Espírita
Promovido pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Expositor: Deise Bianchini
Mato Grosso do Sul
06/01/2001

Dirigente do Estudo da Noite:

Deise Bianchini - Naema

Oração Inicial:

<claralice> Boa noite amigos!!!!
Que a paz do Mestre Jesus nos envolva
Neste instante em que iniciamos mais uma vez as atividades do #Espiritismo_Estudos recorremos à prece que nos liga em pensamentos e sentimentos aos nossos queridos amigos espirituais
os mentores do canal Espiritismo e destas atividades e a todos os generosos amigos responsáveis pelas tarefas de divulgação da Doutrina Espírita E assim, rogamos a todos os mensageiros de paz, luz e amor a Jesus
e a Deus nosso Pai
pedindo-Lhes que nos permitam aqui estarmos sob Suas Bênçãos e que possamos ampliar, através do estudo, nossos horizontes de conhecimento e desta forma ampliarmos também nossas condições de aprendizes do Bem afim de que possamos perceber todas as oportunidades benditas em que devemos nos envolver em favor do Bem Que Jesus nos ilumine, bem como a todos que desenvolverão as tarefas de hj, ilumine a todos os presentes
e a todos aqueles que por algum motivo aqui não puderam estar E em nome de Deus e de Jesus iniciamos nossos estudos Assim seja!!

Exposição:

<Naema>Há Espíritos que, por provação, escolhem o contacto do vício, outros que o buscam por simpatia e pelo desejo de viverem num meio conforme aos seus gostos, ou para poderem entregar-se materialmente a seus pendores materiais, são aqueles cujo senso moral ainda está pouco desenvolvido. A prova vem por si mesma e eles a sofrem mais demoradamente. Cedo ou tarde, compreendem que a satisfação de suas paixões brutais lhes trouxe deploráveis conseqüências, que eles sofrerão durante um tempo que lhes parecerá eterno. E Deus os deixará nessa persuasão, até que se tornem conscientes da falta em que incorreram e peçam, por iiniciativa próprio, lhes seja concedido resgatá-la, mediante úteis provações." Pode parecer natural que se escolham as provas menos dolorosas, mas para o Espírito não é assim. Logo que este se desliga da matéria, cessa toda ilusão e outra passa a ser a sua maneira de pensar. Sob a influência das idéias carnais, o homem, na Terra, só vê das provas o lado penoso. Na vida espiritual, porém, compara esses gozos passageiros e grosseiros com a inalterável felicidade que lhe é dado entrever e desde logo nenhuma impressão mais lhe causam os passageiros sofrimentos terrenos. Assim, pois, o Espírito pode escolher prova muito rude e, conseguintemente, uma angustiada existência, na esperança de alcançar depressa um estado melhor, como o doente escolhe muitas vezes o remédio mais desagradável para se curar mais rapidamente. Após cada existência, vêem o passo que deram e compreendem o que ainda lhes falta em pureza para atingirem aquela meta. Daí se submeterem voluntariamente a todas as vicissitudes da vida corpórea, solicitando as que possam fazer que a alcancem mais rápido. Não há, pois, motivo de espanto no fato de o Espírito não preferir a existência mais suave. Não lhe é possível, no estado de imperfeição em que se encontra, gozar de uma vida isenta de amarguras. Ele o percebe e, precisamente para chegar a fruí-la, é que trata de se melhorar. Se na vida terrena muitas vezes escolhemos duras provas, visando posição mais elevada, por que não haveria o Espírito, que enxerga mais longe que o corpo e para quem a vida corporal é apenas incidente de curta duração, de escolher uma existência árdua e laboriosa, desde que o conduza à felicidade eterna? Os que dizem que pedirão para ser príncipes ou milionários, uma vez que ao homem é que caiba escolher a sua existência, se assemelham aos míopes, que apenas vêem aquilo em que tocam. Dizem todos os Espíritos que, na erraticidade, eles se aplicam a pesquisar, estudar, observar, a fim de fazerem a sua escolha. Na vida corporal não se nos oferece um exemplo deste fato? Não levamos, freqüentemente, anos a procurar a carreira pela qual afinal nos decidimos, certos de ser a mais apropriada a nos facilitar o caminho da vida? Se numa fracassamos, recorremos a outra. Cada uma das que abraçamos representa uma fase, um período da vida. Não nos ocupamos cada dia em cogitar do que faremos no dia seguinte? Ora, que são, para o Espírito, as diversas existências corporais, senão fases, períodos, dias da sua vida espírita, que é, como sabemos, a vida normal, visto que a outra é transitória, passageira? O Espírito , até que chegue ao estado de pureza perfeita passará constantemente por provas. Mas não tribulações materiais. Havendo-se elevado a um certo grau, o Espírito, embora não seja ainda perfeito, já não tem que sofrer provas. Continua, porém, sujeito a deveres nada penosos, cuja satisfação lhe auxilia o aperfeiçoamento, mesmo que consistam apenas em auxiliar os outros a se aperfeiçoarem. O Espírito pode escolher uma prova que esteja acima de suas forças e sucumbir. Pode também escolher alguma que nada lhe aproveite, como sucederá se buscar vida ociosa e inútil. Mas, então, voltando ao mundo dos Espíritos, verifica que nada ganhou e pede outra que lhe faculte recuperar o tempo perdido.

Perguntas/Respostas:

01 <Alan_Parsons> na verdade, não é uma pergunta. Gostaria apenas de fazer uma retificação ao que você estava colocando no canal... ao espírito não é dada prova superior a que possa suportar. Se vem a fracassar foi porque não foi bastante forte a vontade. (t)

<Naema> Bem, foi colado como se encontra no "O Livro dos Espíritos" , conforme a questão 269, na parte da resposta " Pode escolher uma prova que esteja acima de suas forças e, então, sucumbe; .... <Naema> eu encaro essa escolha como uma permissão de Deus, uma prova ao nosso orgulho (t)

02<_Celinha_> Obrigada. São duas.. tudo bem? <_Celinha_> [Naema] Boa noite a todos. A escolha das provas pressupõe que o Espírito está "escolhendo" o gênero de prova por qual irá passar... essa escolha é sempre isolada? Só dele? Ou os irmãos espirituais primeiro o preparam e alertam para as suas necessidades de evolução e acabam por ajudar nessa escolha? Como se dá esse processo? <_Celinha_> essa foi a primeira.
<_Celinha_>

[Naema] Abortos voluntários, ou seja, o bebê vem a falecer sem provocação materna, podem ser encarados como Espíritos que se assombram diante das provas que enfrentarão e por isso, psiquicamente, acabam por bloquear o fluxo de vida que os mantinham vivos? Ou seja, apesar de cientes das necessidades, fraquejam antes de reencarnarem? sendo que esta segunda tem correlação com o que o Alan Parsons fez menção agora à pouco. Muito obrigada.

<Naema> Nem todos os espíritos tem condições de escolher o gênero de provas, existem as encarnações compulsórias, motivadas por vários aspectos, inclusive auxiliar um outro irmão com o afastamento daquele espírito A partir do momento que atingimos um certo grau de evolução moral, começamos a escolher o gênero de provas que teremos que passar Sempre amparados, lógico, pelos nossos amigos espirituais, que seriam nossos instrutores Pois ao estarmos na outra vida, continuamos nosso aprendizado Nesse momento, ao fazermos nossas escolhas, se agirmos com humildade, procuraremos os conselhos para que nossa escolha seja efetiva Isso é, para que não desperdicemos oportunidades Normalmente não nos são dadas provas além daquilo que podemos suportar Utilizamos nosso livre arbítrio nas escolhas, e depois nas decisões quando encarnados Aí é que realmente somos postos à prova, porque não temos consciência desses compromissos. Vemos nos livros de André Luiz o espírito ao se preparar para encarnar passa por uma fase de esquecimento total e durante a gestação esse esquecimento vai-se completando ele vai-se envolvendo com o embrião e fazendo as ligações, como que se enovelando ao ser que está sendo formado Não sei dizer a você se nesse estado ele terá condições de se lembrar dos compromissos, mas pode haver essa desistência, pois os sentimentos dos encarnados, mesmo que não sejam conscientes, existem, e podem ser transmitidos ao feto em formação,imagine que vai reencarnar um inimigo antigo do pai ou da mãe, o compromisso espiritual foi feito, na carne eles não recordam, mas as lembranças do crime ou ódio podem continuar a existir e causar uma sensação de desamparo ao feto, que desiste Lógico, existem outros fatores.
Não sei se fui clara, o assunto é muito longo (t) 03 <Alan_Parsons> apenas para constar, o meu comentário está embasado numa mensagem de S. Agostinho no "O Evangelho Segundo o Espiritismo" . Aliás, concordo inteiramente com ele. Lembremos também que ele foi um dos espíritos da codificação.

<Naema> Sim , eu concordo com vc de maneira geral (t)

04<Safiri> Pode acontecer de um espírito não ter direito a escolhas ? Em caso afirmativo, quais as condições que levam a essa situação ? (t)

<Naema> Pode acontecer. Um espírito muito endurecido no mal, pode ter uma reencarnação compulsória Ou um espírito de suicida, precisa da reencarnação para recompor seu perispírito, mas está tão envolvido nos pensamentos recorrentes que não tem condições de escolha, é sempre um benefício que é concedido a ele ou a outros Li, mas não me recordo da referência, que o espírito de Hitler teria reencarnado como um deficiente físico e mental Para dar oportunidade, não apenas a ele, mas aos seus inimigos, àqueles que sofreram tanto e que não tinham condições do perdão Nessa situação, com ele "escondido" em um corpo físico, foi possível o resgate desses espíritos infelizes (t)

05<Alexia2> Se somos auxiliados ao escolhermos nossas provas, temos então espíritos que nos auxiliam durante todo esse processo, como se faz esse auxílio e de que forma podemos melhorá-lo (t)

<Naema> Todo auxílio obtemos através da prece Em nossas preces, feitas de coração, nos colocamos ao alcance dos conselhos dos nossos amigos espirituais que estão sempre nos intuindo, depende apenas de nós abrir os canais de contato :)))

06<_Celinha_> [Naema] Sua resposta sobre o aborto voluntário ser uma desistência por parte do Espírito reencarnante foi para mim, clara. Obrigada Naema. Apenas considero ainda oportuno lembrar que apesar de estar o Espírito num estágio letárgico ele pode encontrar condições de quebrar o laço com seu corpo físico em formação e por isso, falecer no útero materno. Isso naturalmente é concedido, porque Deus controla tudo. Sendo assim, esse Espírito, por exemplo até poderá provocar o seu próprio aborto uma, duas, três, enfim, não sabemos quantas vezes, mas até certo ponto, pois se Deus considerar que basta, sua reencarnação será compulsória e ele nascerá, quer queira quer não. Isso pode ocorrer com os suicidas por exemplo, que reencarnando têm duras provas no campo físico, já que na vida anterior (ou anteriores) desprezou e matou sua morada física.

<Naema> Muito bom, sem comentários:)))))

07<Alan_Parsons> a respeito de Hitler, tamanha foi a barbárie perpetrada que dificilmente poderia ser resgatada em apenas uma existência. Isso para não falar em outros exemplos lamentáveis como os de Mao-Tse-Tung, Ivan o Terrível, Vlad o Empalador... não obstante, isso fica ao inteiro alvedrio de Deus. Pode ser que a eles tenha sido concedida a ventura de resgatar tudo em uma única existência. (t)

<Naema> Acho muito difícil, Alan, que ocorra em uma única existência. Concordo com você . Só uma pergunta, alvedrio é a mesma coisa que critério? <Alan_Parsons> sim.
<Naema> :)))))
<Naema> Essa momento não é apenas para perguntas, comentários também são bem-vindos, pois estamos todos na mesma escola

08<_Celinha_> Olha vou fazer uma pergunta...acho que é meio chata... Os animais não têm consciência e no entanto, sofrem, porque alguns ficam aleijados, contraem câncer, etc. Logo, estariam também os animais sujeitos a provas?

<Naema> As provas, como encaramos na Doutrina Espírita, tem a finalidade de crescimento moral, dependendo da forma como a encaramos. Os animais não passam por esse processo, ainda não são espíritos. Portanto não estariam sujeitos a provas.

09<Alan_Parsons> retornando ao tema do resgate das culpas, cumpre ressaltar que o problema é psicológico. Um espírito que tenha cometido as piores barbaridades em uma existência dificilmente se poderia considerar desculpado após uma existência de padecimentos. Por isso o resgate é feito por etapas atendendo ao imperativo psicológico antes de tudo (t)

<Naema> O resgate só estará completo quando o espírito se conscientizar de seu erro. Com essa consciência ele próprio terá necessidade de se reconciliar com aqueles que fez sofrer. Essa consciência pode demorar séculos a ocorrer, mas chegará um dia Isso é certeza.

10<Jofer> Em alguns casos de abortos espontâneos, são os Espíritos que encontram-se ensaiando as próximas encarnações Exemplo Espíritos suicidas que não conseguem (pelo que de revolta e desequilíbrio que guardam no seu intimo) se segurar no útero da mãe, se desprendendo.

<Naema> Vou passar os comentários sobre a observação do Jofer à Celinha <_Celinha_> Jofer... boa lembrança...tínhamos feito esse comentário antes e realmente... o Espírito reencarnante, apesar de estar com a consciência semi-nublada pelo futuro nascimento... poderá sim, com sua força psíquica, romper os laços que o unem à mãe e ao seu corpo. Logo o que temos nessas situações é o Espírito inseguro de suas potencialidades em enfrentar suas provas.. você lembrou dos suicidas.. exatamente... nesses casos em especial, é muito duro o gênero de prova e por isso ele poderá desistir, apesar de carinhosamente assessorado. Mas isso têm um limite... Deus permite até um certo ponto.. depois disso, a reencarnação torna-se compulsória.

11<_Celinha_> creio que nem seja uma pergunta só um complemento ao que o Parson Um dos maiores cânceres que a Humanidade possui é o orgulho, que geralmente é o responsável pelo indivíduo ter que, mais tarde, trabalhar no resgate de sua dignidade espiritual através das provas. Outro é a culpa. A culpa pode colocar por água abaixo todo processo de recuperação dessa dignidade espiritual, por isso, a bendita fórmula do esquecimento. Imaginem por exemplo um espírito sabedor que dizimou milhares... sua culpa o perseguiria, além dos seus desafetos, ou pior, seus admiradores. O esquecimento é portanto, essencial para que a prova seja eficaz.

12<Josh___> era apenas uma pergunta complementar à colocação de reencarnações compulsórias! queria saber se está previsto também as provas compulsórias. Obrigado

<Naema> Fazemos nossas escolhas Josh, mas não se esqueça que o amor cobre uma multidão de pecados Aquele que veio nessa vida, para passar por determinado tipo de sofrimento pode levar uma vida tão boa, dentro dos princípios morais que terá amenizado o padecimento
Tem aquela história do homem que se comprometeu a perder um braço na atual encarnação, pois havia sido um assassino, que fez mau uso desse instrumento Quando deveria perder o braço, perdeu apenas um dedo Vemos assim, que nós mesmos fazemos nossos destinos Como última observação, as encarnações compulsórias não são provas as provas são escolhas nossas
O espírito não pediu para vir, veio obrigado

Oração Final:

<_Celinha_> Queridos amigos e amigas deste Canal... Vamos unir nosso pensamentos a Deus e fazer uma bela prece de agradecimento e de amor a esta vida e a tudo quanto possuímos por graça do nosso Pai. Bela, não no sentido das palavras, mas do sentimento... E portanto, com o todo amor do nosso coração, agradecemos Pai Carinhoso, por Sua Infinita Bondade para com todos nós e em especial, agradecemos por esta noite de aprendizado junto a amigos queridos e que tão leve e feliz deixa a nossa existência. Pai, dos seus filhos queridos, um carinhoso Muito Obrigado pela VIDA e rogamos que o trabalho deste Canal e esta amizade mesmo à distância, permaneça firme e sincera, fortalecendo nossos laços de irmãos que somos todos nós. Com a sua Benção, pedimos hoje agora e sempre, muita Paz a todo o Universo. e que assim seja.