Na Luz da Reencarnação

"O Livro dos Espíritos" - Questões 1010 e 1011

Estudo Espírita
Promovido pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Expositora: Dulce Mara
Brasília
12/02/2000

Dirigente do Estudo:

Mauro Bueno

Oração Inicial:

<Wania> Jesus amigo, mais uma vez nos colocamos diante de ti, solicitando a paz necessária aos nossos espíritos. No momento que iniciamos a reunião de estudos desta noite, que possamos equilibrar pensamentos e sentimentos, favorecendo ao aprendizado que se faz necessário. Envolva a companheira Mara, que conduzirá o estudo da noite. Envolva também, Senhor da Vida, as frentes de trabalho do IRC-Espiritismo.

Que em todos os momentos, nossa palavra possa ser esclarecedora, consoladora, amiga! Que a tua misericórdia alcance a todos nós. Que seja em teu nome, em nome dos Espíritos que conduzem este trabalho, mas, sobretudo, em nome de Deus, a realização de mais um momento de estudo e reflexão. Que seja assim, agora e sempre!

Exposição:

<_Dulce_> Boa noite, amigos! Falar de ressurreição é, sem dúvida, falar de reencarnação.

O conceito vulgar de ressurreição, no sentido da revivescência dos despojos do corpo, não se sustenta mais, atentando-se aos conhecimentos científicos atuais, que demonstram cabalmente a sua impossibilidade material; como reviver um corpo que já se desfez há dois mil anos, por exemplo, e cujas moléculas hoje habitam novas formas materiais? Impossível, realmente. E mesmo supondo-se que um espírito pudesse, sabe-se lá por que meios, reviver seu corpo tendo já desencarnado, sendo a Justiça Lei Divina e Natural, todos os outros teriam o mesmo direito. Como garantir esse direito, se as moléculas de um corpo que habitou a Terra há tantos séculos, podem ser as mesmas que formam hoje o nosso corpo? Impossível ainda uma vez.

Assim, tanto pela Ciência quanto pela simples lógica, vemos que a ressurreição, como entendida vulgarmente, é absolutamente improcedente. No entanto, muitas das religiões conseqüentes do Cristianismo, ensinam a ressurreição como dogma, sustentando-se nas Escrituras. E aí? Estão enganadas as Escrituras?

Segundo nos explicam os Espíritos, há apenas equívoco por parte dos interpretadores da Bíblia, quando o fazem tomando certos termos ao pé da letra, o que apenas confunde e provoca a incredulidade das pessoas que se dispõem à simples reflexão.

Com o advento do Espiritismo, no entanto, esses conceitos são explicados sem alegorias, mostrando o seu sentido claro e preciso, atendendo profundamente às exigências de nossa razão, promovendo assim o aumento das pessoas sinceramente religiosas e crentes. O Espiritismo, portanto, ao contrário de subverter a religião, a confirma e sanciona por provas irrecusáveis.

Além disso, a Lei de Deus está inscrita na consciência dos espíritos e por isso, encontramos a crença na pluralidade das existências desde os primórdios da existência do Homem na Terra. Ele traz esse conhecimento, essa certeza, intuitivamente. Numa rápida passagem pela História, podemos verificar isso facilmente: desde os xamãs da antigüidade, passando pelos Vedas, Confúcio, Gautama, Sócrates e tantos outros, a doutrina da reencarnação é ensinada. Também nas Escrituras sagradas, encontram-se esses ensinamentos. Jayme Andrade, em seu livro "O Espiritismo e as Igrejas Reformadas", pinça da Bíblia vários textos que falam da reencarnação. Vale a pena conferir.

O conceito vulgar de ressurreição só foi colocado e mantido até hoje, como pilar das Igrejas para a sustentação da doutrina da unicidade da existência, doutrina que pretende garantir o controle e poder temporal das Igrejas sobre seus tutelados. Porém, se nos dispusermos a questionar as situações que se nos apresentam no dia-a-dia, comparando as duas doutrinas, a da unicidade e a da pluralidade das existências, para logo verificaremos qual delas responde não só à nossa razão, como à idéia que fazemos de Deus.

Como reconhecer, por exemplo, a Justiça e o Amor infinitos, nas tantas desigualdades e misérias humanas, senão com a chave da pluralidade das existências? Por que uns nascem e vivem na opulência, enquanto outros desfalecem nas necessidades materiais? Por que a uns tantas oportunidades de estudo e desenvolvimento, enquanto a outros nada? Por que a uns o corpo perfeito e a outros a deficiência e a doença? Por que a alguns a inteligência privilegiada e a outros a imbecilidade? Tantas perguntas sem resposta, da parte daqueles que sustentam a unicidade da vida.

A doutrina da pluralidade das existências, porém, lança luz a todas esses questões, revelando, em toda a sua beleza, a Justiça e o Amor divinos. Sem sombra de dúvida, falar de ressurreição, é falar de reencarnação. E falar de reencarnação, é falar de Amor. O tema de hoje nos fala de perto ao coração, de muitas formas.

Os Espíritos, em "O Evangelho Segundo o Espiritismo", capítulo XI, "Amar o Próximo Como a Si Mesmo", falando da Lei de Amor, afirmam: "O Espiritismo a seu turno vem pronunciar uma segunda palavra do alfabeto divino. Estai atentos, pois que essa palavra ergue a lápide dos túmulos vazios, e a reencarnação, triunfando da morte, revela às criaturas deslumbradas o seu patrimônio intelectual. Já não é ao suplício que ela conduz o homem: condu-lo à conquista do seu ser, elevado e transfigurado."

A reencarnação permite-nos alcançar a verdadeira paz, permitindo refazermos os caminhos enganosos em que nos colocamos tantas vezes na vida; permite o fortalecimento dos laços que temos com os corações amados e o reencontro com aqueles a quem precisamos aprender a amar. Com a pluralidade das existências sabemos que há um longo aprendizado a ser empreendido, mas sabemos igualmente que todo o esforço valerá a pena e não será jamais perdido; ela permite a certeza de que dispomos do tempo e do espaço necessários à construção e à transformação de nós mesmos, através do desabrochar de nossas virtudes potenciais. Por tudo isso, essa doutrina de amor sustenta-nos a esperança e o ânimo na luta.

Agradecidos aos Espíritos Amigos que nos trouxeram tantas luzes com esses ensinamentos, possamos nós nos imbuirmos dessas verdades que eles nos trazem, de forma que possamos transformar o mundo a nossa volta, transformando-nos interiormente. Que a Paz do Mestre seja em nossos corações.

Perguntas/Respostas:

[01] <Ioio> De que forma a Misericórdia Divina se apresenta pela reencarnação? Ou melhor, como podemos afirmar que a misericórdia divina faz parte do processo reencarnatório?

<_Mara_> Ioio, Como nós vimos, a reencarnação é mais uma das facetas do amor divino em nossa direção. Quando a gente erra com alguém, por qualquer motivo, a nossa vontade é refazer esse erro, pedir desculpas, refazer os laços por ventura machucados e quanta alegria quando conseguimos, não é mesmo? Agora, imaginemos que desencarnamos e não temos condições mais de refazer esse caminho, que não teremos mais como nos desculpar, isso seria "o inferno" realmente e não condiz com o que já podemos vislumbrar do amor divino, então poder recomeçar sempre é misericórdia divina, com certeza. (t)

[02] <Ioio> Então podemos dizer que o "inferno" é um estado consciêncial nosso, que carregamos conosco pelas reencarnações até que nosso débito seja quitado?

<_Mara_> Com certeza. Amiga, trazemos em nós o inferno de nossos erros, de nossa pequenez mas,(sempre tem um mas, felizmente), não nos esqueçamos, carregamos igualmente um céu dentro de nós. Lembremo-nos do que nos diz o Mestre: O Reino dos Céus está dentro de nós. Então, acessemos esse Céu, e brilhemos nossa Luz! (t)

[03] <ffragoso> Estou doente, faço um monte de besteiras, estas besteiras devo estar fazendo há muito tempo. Posso esperar que estes amigos espirituais não me julguem de forma tão severa? Deus não me julgará de forma severa, não é? Eu quero ser feliz junto com minha Fátima, mas sou tão tacanho. Então vocês pensam em mim e vibrem por mim. Tudo o que o Espiritismo me ensinou é lindo, feio sou eu, me julgo de forma severa, não gosto do meu julgamento.

<_Mara_> Amigo Ricardo, todos nós estamos aqui em aprendizado, e como nos ensina a Doutrina, teremos sempre a oportunidade de refazer os nossos caminhos. O "julgamento" de que você fala não será feito por algo ou alguém fora de você, o nosso julgamento é feito pela nossa consciência. Então, amigo, falando do seu "inferno", lembre-se do seu céu, ok? Comece a refazer o seu caminho agora, estaremos vibrando por você. (t)

[04] <Ioio> Podemos dizer que quando eu sentir no meu coração a minha condição de espírito imortal, aceitarei a Lei Divina de Causa e Efeito, e assim poderei abreviar minhas reencarnações "expiatórias"?

<_Mara_> "Sentir no coração"... Muito bem colocado, Ioio, porque nós já sabemos de tudo o que a Doutrina nos ensina mas ainda nos é difícil a vivência. Por que? Porque sabemos com o cérebro mas não sentimos ainda em nossos corações, com certeza. Quando cultivarmos um contato mais íntimo com nosso mundo interior, saberemos efetivamente dessas verdades e agiremos com segurança na direção do bem.

Já nos disseram e repetem sempre os Espíritos: Amigos: conhece-te a ti mesmo. Com isso, abreviaremos o nosso caminho, com certeza. (t)

[05] <tupiniquim-__> O aprendizado só se dá pela dor?

<_Mara_> Felizmente não, tupiniquim. Há um caminho ao qual estamos sempre convidados: o caminho do amor, e ele não é tão difícil como pode nos parecer no princípio. Uma palavra amiga, um abraço, o ouvido amigo, cada pequeno gesto de carinho é construção importante no caminho do Bem. Ao exercício, então. Todos nós. (t)

[06] <Wania> Mara, Há um limite para a reencarnação?

<_Mara_> Wania, amiga, sempre teremos renovadas as oportunidades de que necessitamos. Deus é Amor e Misericórdia. Então reencarnaremos quantas vezes quisermos e necessitarmos. Isso é escolha nossa.

Porém, importante lembrar, já que alguns podem pensar: Puxa, então vou deixar para depois. Quando conhecemos o mundo espiritual com suas belezas, a gente fica com muita vontade de ir para lá. Algumas pessoas que entram em êxtase, relatam isso, que não queriam voltar. O dia que pudermos estar nos altos páramos (ficou chique isso!) da espiritualidade, vamos regozijar com certeza e nós sabemos disso então. Não dá para ficar parado. Á luta! (t)

[07] <Wania> A lembrança de reencarnações pretéritas poderia ser útil?

<_Mara_> Amiga, depende do espírito. "O Livro dos Espíritos" nos ensina que, quanto mais evoluído um espírito, mais acesso ao pretérito ele tem. Então deve ter alguma utilidade mas, para lembrar o passado, é preciso saber lembrar, sem se deixar atolar na culpa, ou na raiva ou vingança. A maioria de nós ainda não tem grandeza para isso. Valorizemos o presente, um verdadeiro presente para nós. Nele podemos refazer o passado e construir o futuro, dois em um. Imperdível. (t)

[08 ]<tupiniquim-__> A inexistência de perispírito é sinal da desnecessidade de reencarnar?

<_Mara_> O perispírito é o envoltório do espírito. Enquanto ligado a um planeta, seja ele qual for então, independente de ser um espírito que precise ou não encarnar, se ele estiver em atividade em algum planeta, se revestirá de um perispírito. O que indica a necessidade ou não de encarnação é, com certeza, a superioridade moral do Espírito. (t)

[09] <jal> O que dizer do argumento de que a reencarnação desestimula as ações de renovação no presente, pois sempre teremos uma outra oportunidade?

<_Mara_> jal, esse argumento até poderia ser válido, se os ensinamentos dos Espíritos estivessem pautados só no "viver de novo" mas, ao lado da pluralidade das encarnações, há todo uma doutrina, falando de Causa e Efeito, de liberdade e responsabilidade, de amor, fraternidade, etc.

Um espírito pode até ficar um tempo estacionário, mas, chega uma hora em que ele sente a necessidade de crescer, de se movimentar. Isso é da essência do espírito. Além do mais, pelo grau de conhecimento que já temos, não queremos mais ficar estacionários pois sabemos que isso é só adiar uma caminhada necessária e, mesmo procurada, ainda que inconscientemente. Com os ensinamentos espíritas não corremos esse risco, com certeza. (t)

[10] <tupiniquim-__> A atividade espiritual restringe-se apenas aos planetas? Ou podem haver irmãos sem necessidade de reencarnar e, por isso mesmo, sem perispírito?

<_Mara_> O perispírito, à medida que vamos evoluindo, vai se sutilizando. É difícil dizer que não haverá mais perispírito, pois os próprios espíritos, ao definirem o que é um espírito em sua essência, disseram: para vós ele nada é, para nós é algo palpável. Não estou segura para responder a essa questão, mas, no meu entender, haverá sempre envoltório, mesmo que quintessenciado. Se alguém quiser complementar, esteja a vontade. (t)

[11] <||-Bat-Girl-||> Sobre a lembrança das encarnações anteriores eu gostaria de saber sobre a validade das regressões.

<_Mara_> Bat-Girl, esse procedimento é utilizado por alguns profissionais médicos e psicólogos, e tem indicação precisa. Encontramos referência a essa técnica em alguns livros espíritas. Porém, precisamos estar cercados de cuidados, para um empreendimento desse nível, já que, como disse, é preciso saber lembrar, para que haja utilidade então, é um procedimento válido em alguns casos, mas, não nos esqueçamos de valorizar o presente. (t)

Oração Final:

<{_lili_}_estudos> Que a paz de nosso mestre continue nos envolvendo. Neste instante nos preparamos para nos despedirmos, mas vamos nos colocando em condições mentais e espirituais para os agradecimentos a todos que nos auxiliaram para que aqui estivéssemos.

Vamos agora nos dirigindo a todos os queridos amigos espirituais, tão companheiros e simpáticos a esta atividade de estudos e de engrandecimento de nossas almas. E vamos agradecer-lhes por fortalecerem em nós disposições internas e espirituais para o aprendizado e para o amor, e também por nos favorecerem este espaço virtual, porém tão real ao nosso coração

E assim também nos dirigimos ao querido Mestre Jesus, agradecendo-lhe por tantas dádivas que nos são estendidas, por seu amor e rogando ainda que, neste instante, suas bênçãos possam ser por todos nossos irmãos que de dedicam incansavelmente às pesquisas científicas em favor da humanidade, a todos que trabalham nos ensaios teóricos que nos favorecem a compreensão da vida a todos que, missionariamente, estão encarnados no planeta em favor do crescimento espiritual de todos nós. E que suas bênçãos possam ser por todos os que sofrem, vítimas de suas próprias dores E por todos nós que aqui estamos.

Mestre Jesus, abençoes todos os usuários e operadores do IRC- Espiritismo em todas as suas tarefas e aos irmãos que arduamente se dedicam à preparação desta atividade de estudos, todas as semanas. Que esta oportunidade de hoje seja renovada em nossos corações como convites à fraternidade e à evolução. Que as sua bênçãos possam ser por todos nós, hoje e sempre. Obrigada Mestre!