Idéias Inatas

"O Livro dos Espíritos" - Questões 218 a 221

Estudo Espírita
Promovido pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Expositor: Deise Bianchini ( Naema )
Mato Grosso do Sul
16/09/2000

Dirigente do Estudo da Noite:

Deise Bianchini ( Naema )

Oração Inicial:

<PimentaDoce> Boa noite, amigos.
Vamos então nos sintonizar, mente e coração, uns com os outros, e com Jesus e a Espiritualidade amiga, de modo a que esses momentos, sejam momentos de aprofundamento e meditação nos ensinos dos Espíritos, que nos trazem grande consolo pelo esclarecimento que nos proporcionam. obrigada por mais esta oportunidade de aqui estarmos, meditando em temas que nos refrigeram o coração, tantas vezes dilacerados por dores redentoras... Obrigada, querido Amigo, por que nós podemos contar com essa Doutrina maravilhosa, a nos consolar, a nos animar para o bom combate...a reforma íntima. Que os Espíritos Amigos inspirem o palestrante da noite, para que a sua palavra seja de Luz e possa levar paz e harmonia a todos os corações que tomarem contato com o conteúdo da palestra, agora ou futuramente. Que possamos abrir as mentes e os corações para acolher em profundidade os ensinamentos da noite. Envolve, Amigo, em tuas vibrações amorosas, todos quantos queriam aqui estar e não puderam. Que eles recebam tudo o de que necessitem, estejam onde estiverem. Abençoe esse momento e esse espaço,
Graças a Deus. Graças a Jesus.

Mensagem Introdutória:

Memória além-túmulo

Automaticamente, por força da lógica, elege o homem na contabilidade uma das forças de base ao próprio caminho.

Contas maiores legalizam as relações do comércio, e contas menores regulamentam o equilíbrio do lar.

Débitos pagos melhoram as credenciais de qualquer cidadão, enquanto que os compromissos menosprezados desprestigiam a ficha de qualquer um.

Assim também, para lá do sepulcro, surge o registro contábil da memória como elemento de aferição do nosso próprio valor.

A faculdade de recordar é o agente que nos premia ou nos pune, ante os acertos e os desacertos da rota.

Dessa forma, se os atos louváveis são recursos de abençoada renovação e profunda alegria nos recessos da alma,

as ações infelizes se erguem, além do túmulo, por fantasmas de remorso e aflição no mundo da consciência.

Crimes perpetrados, faltas cometidas, erros deliberados, palavras delituosas e omissões lamentáveis esperam-nos a lembrança,

impondo-nos, em reflexos dolorosos, o efeito de nossas quedas e o resultado de nossos desregramentos, quando os sentidos da esfera física não mais nos acalentam as ilusões.

Não olvideis, assim, que, além da morte, a vida nos aguarda em perpetuidade de grandeza e de luz,

e que, nessas mesmas dimensões de glorificação e beleza, a memória imperecível é sempre o espelho que nos retrata o passado,

a fim de que a sombra, reinante em nós, se dissolva, nas lições do presente, impelindo-nos a seguir,

desenleados da treva, no encalço da perfeição com que nos acena o futuro.

Emmanuel

Do Livro: Religião dos Espíritos
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
Editora: FEB

Exposição:

Para discutirmos o tema, idéias inatas, achei muito interessante, como subsídio, o texto de Roque Jacintho no livro "Reencarnação": Idéia, em si, significa conhecimento, memória e, por extensão, também criação, invenção, projeto, plano. É a maneira particular de ver as coisas, correspondendo a uma opinião, a um conceito, a um juízo.

Inato, por sua vez, é o que já nasce com o homem. Idéia inata significa, de um modo geral, a maneira particular de ver as coisas, de formular uma opinião, um conceito, mas que já tenha nascido com o próprio homem e independente de educação e instrução. Grande parte de nosso conhecimento, em verdade, são experiências que os outros nos transmitiram nas conversações, nas salas de aula, nos jornais e televisões, nos livros, nas conferências. Outros conhecimentos, porém, nos vem de dentro. Diante de um acontecimento ou de uma circunstância, o conhecimento natural, não aprendido, como que nos salta do íntimo, sem esforço para formulá-lo e sem ter que recorrer, mesmo inconscientemente, ao arquivo de nossa memória. A reencarnação opera, conosco, um esquecimento de nossa personalidade do passado, não nos permitindo saber, salvo em condições excepcionais, quem fomos ontem. Sepulta , por outro lado, também, todos os conhecimentos que adquirimos, qual se operasse apagando nosso patrimônio de cultura. Se tal esquecimento fosse absoluto, fazendo-nos perder a memória total de nossas aquisições do passado, teríamos a cada nova existência, de começar tudo do marco zero. Tal, porém, não ocorre.
Guardamos as nossas verdadeiras aquisições na forma que se chama de idéias inatas, o que contribui não apenas para que tenhamos "idéias não pensadas" ou que nos revelemos senhores de conhecimentos não transmitidos por terceiros, mas que servem de fundamento para que os valores da educação, na nova vida, sejam mais de reeducação, de despertamento de nosso patrimônio intelectual adormecido, que de simples absorção de coisas que nos sejam inteiramente estranhas. Se a aprendizagem estivesse condicionada apenas aos mestres e aos métodos adotados, por certo que todos os alunos de uma mesma classe findariam por deter o domínio dos mesmos princípios, das mesmas noções, das mesmas informações transmitidas. E isso não ocorre.
E não ocorre porque cada aluno, em representando um espírito que vem de outras experiências anteriores, traz uma bagagem adormecida em seu interior, transformando a aprendizagem muito mais num ato de redespertar o patrimônio interior, acrescentando algumas coisas novas, que criar no aprendiz o mundo de conhecimentos. Em cada existência, por isso, o ponto de partida de um Espírito é aquele em que, na vida anterior, ele alcançou, se bem que não podemos desconsiderar as aquisições que ele haja feito na Espiritualidade entre uma e outra encarnação. O que aprendemos, numa existência, nunca mais se perde. Esses conhecimentos, revelados antes e sem qualquer aprendizagem formal, como ocorre com os indivíduos que demonstram certos domínios de línguas, de cálculo, de engenharia, de medicina, de artes, decorrem de uma lembrança do passado, sem dela ter-se inteira consciência. De onde emergem tais conhecimentos naturais? É do arquivo do próprio espírito.
Ele saca de si mesmo, de seu inconsciente espiritual, de sua memória e experiências de vidas precedentes, toda essa intuição para certos conhecimentos e realizações individuais. Algumas vezes as suas aquisições do passado devem permanecer sepultadas mais profundamente,

por querer o Espírito exercitar-se em outros conhecimentos que ainda não adquiriu e que não tenham nenhuma relação com os anteriores. Aqui é um começar e não um recomeçar.
Ele esbarrará com todas as dificuldades de um noviciado, de uma iniciação sem base anterior, visto que está buscando dilatar os seus próprios horizontes culturais, através de conhecimentos diferentes daqueles que são os de seu domínio. Não perderá, contudo, as suas aquisições anteriores. Elas permanecerão em estado latente, reaparecendo mais tarde. Nessa grande aventura, de aprimorar o que já domina e incorporar noções e conhecimentos que lhe são estranhos aos gostos e pendores, é que se realiza a Lei da Evolução dos Espíritos, na sua caminhada dos reinos primários da natureza em direção sempre crescente para o Mundo Espiritual, de onde somos a essência e para onde regressaremos através de nossa plena realização.

Perguntas/Respostas:

01<Wanfred> Como saber se uma idéia é inata ou não?

<Naema> Uma idéia inata é quando não tivemos aprendizado anterior sobre o assunto, quando temos extrema facilidade em aprender algo, que se nos apresenta pela primeira vez. Podemos ter a noção de que algum dia já tivemos este aprendizado.

02 <Transeira> sou vestibulanda e até hoje não tenho intuição alguma que me diga que devo seguir esta ou aquela área, já larguei uma faculdade na área de saúde e agora ando perdida, estaria o meu Espírito começando de novo nessa busca? (t)

<Naema> Querida Transeira, é difícil saber o que ocorre com você :))) você deve ter alguma facilidade em alguma área, ciências exatas, humanas ou biológicas, ou mesmo artísticas, é dentro dessas habilidades que vc apresenta que está o seu caminho Quantas vezes não cursamos uma faculdade pelo glamour que ela apresenta, para depois percebermos que não é nada daquilo que queríamos? Você poderia também fazer uma orientação vocacional, que poderia dar uma sugestão a você (t)

03<PimentaDoce> <Naema> Uma idéia inata é quando não tivemos aprendizado anterior sobre o assunto, quando temos extrema facilidade em aprender algo, que se nos apresenta pela primeira vez. <PimentaDoce> :) <Naema> :)) <PimentaDoce> agora a pergunta: Naema, enquanto você falava eu me lembrei de que no O Evangelho Segundo o Espiritismo há uma passagem que fala daquelas pessoas que muito jovem já assimilam a Doutrina Espírita nas suas menores nuances com muita facilidade...isso seria também um processo de "idéia inata"?

<Naema> Sim, hoje mesmo podemos ver esses pendores :)) Quantos que se iniciam na DE tem extrema dificuldade de aprender e interpretar os textos, e outros que com apenas uma lida já tem uma noção exata de seu conteúdo. Podemos considerar que estão relembrando aprendizados, e que agora vão assumir seus compromissos de continuidade de aprendizagem, ou até mesmo de aplicação daquilo que aprenderam apenas na teoria :)))

04 <Wanfred> Eu nunca havia tido contato com nada relacionado ao espiritismo antes...Porém usava termos, palavras, idéias mesmo muito coincidentes com que é abordado ali... Para mim é muito estranho...Começou por acaso faz pouco tempo... com a mudança do emprego... <Naema> sim?
<Wanfred> O que você acha que é isso? (t)

<Naema> Wanfred, gostaria de lhe dizer, em primeiro lugar, que na Doutrina Espírita, não acreditamos no acaso Tudo acontece quando estamos prontos e preparados para enfrentar por isso esse seu contato não começou por acaso, mas sim quando você estava pronto para aceitar os ensinamentos, que de uma forma ou de outra você já tinha conhecimentos prévios O Livro dos Espíritos nos diz, na questão 221: - É essa mesma lembrança q se devem certas crenças relativas à Doutrina Espírita, e q se registram em todos os povos? - Esta doutrina é tão antiga quanto o mundo; por isso, encontramo-la por toda parte, sendo uma prova de que é verdadeira. O Espírito encarnado conservando a intuição de seu estado como Espírito, tem consciência instintiva do mundo invisível, porém, muitas vezes , os preconceitos falseiam essa idéia e a ignorância a mistura com superstição

05 <Transeira> se não acreditamos no acaso,é pq todas nossas idéias estão pré-determinadas?

<Naema> Pelo contrário, amiga, somos construtores de nosso destino se tivéssemos nossas idéias e atos predeterminados cairíamos no determinismo, onde não importa o que façamos já temos um destino traçado. Aí por que lutar? Já está tudo pronto para nós. Se, pelo contrário, somos construtores de nosso destino, podemos atenuar até os sofrimentos que havíamos escolhidos para nós Podemos ver vários caminhos a nossa frente, mas só escolheremos aquele que estamos prontos para seguir. Os sinais estão ao nosso redor, mas muitas vezes não temos olhos de ver, nem ouvidos de ouvir. Por isso digo que não é acaso. É só uma questão de estarmos atentos e prontos para enxergar(T)

06<Wanfred> Obrigado, gostaria de saber porque tenho tanta resistência em aceitar muitas teses da DE ...Como por exemplo a reencarnação, o nada é por acaso, predestinação, etc? (t)

<Naema> Wanfred, temos resistência a aceitar todas as novidades que se apresentam para nós. Nesse ponto somos conservadores. E principalmente temos resistência a aceitar o conhecimento que nos remete toda responsabilidade dos atos que praticamos Através da DE sabemos que, pela causa e efeito, temos explicação para tudo que nos ocorre Mas como é difícil proceder a reforma íntima, não podermos mais ser " perdoados" pelos erros através apenas do arrependimento. Precisamos resgatar esses erros, através do amor ou da dor, e são poucos que fazem o caminho do amor. Quando tivermos essa consciência tudo será mais fácil. Se você se aprofundar nos estudos, e entender exatamente o que significam os termos, aí poderá aceitar. Pois a fé cega não nos convence (T)

07 <AnjoGabriel> 2 perguntas numa só: Posso perguntar sobre outros assuntos ou só o em pauta? Se não puder, como e pra quem e quando pergunto? A Segunda pergunta definida pelo assunto é: As pessoas que não sabem ou não querem saber que nascemos para resolver pendências de vidas passadas (evangélicos e católicos, por exemplo), como irão evoluir neste sentido? Terão que desperdiçar mais uma vida para poderem ter a idéia como filosofia principal da DE?

<Naema> Só pode perguntar sobre o assunto em pauta :))) Para os debates diários temos o canal #espiritismo, onde as perguntas são livres, embora também tenha um tópico, mas você pode perguntar outras questões , desde que seja dentro da DE Você também pode consultar nossa HP, onde existe um serviço de perguntas e respostas, que funciona através de e-mail. Ficou clara essa primeira parte?

<AnjoGabriel> Sim, mas e se for muito pessoal??

<Naema> se você quiser fazer perguntas pessoais pode fazer em pvt, para os operadores, e também pode utilizar o serviço de perguntas e respostas

<AnjoGabriel> sim
<AnjoGabriel> está claro, a segunda parte me intriga...

<Naema> Segunda parte :))
Para nós a DE espírita é a melhor que existe :))) pois responde aos nossos questionamentos , nos consola, e nos mostra o caminho a seguir <AnjoGabriel> é... tanto que a utilizamos como fundamento de vida!!!!! <Naema> Esse caminho é aquele exemplificado por Jesus Para nós é a melhor. Mas isso não quer dizer, que os que acreditam de forma diferente de nós estejam errados Eles optaram por seguir os ensinamentos de Jesus de outra forma que é que , no momento, mais os esclarece Eles também chegarão a evolução que procuramos, apenas que por outros caminhos Todas as religiões são importantes e boas Desde que respondam às nossas dúvidas e necessidades Se formos olhar em outras religiões, quantos vultos se destacam pelo exemplo de vida? o que importa são nossas ações e nossos méritos, não nossos rótulos :)) (t)

Vamos colar agora um pequeno trecho do Evangelho Segundo o Espiritismo, após poderão ser feitos comentários, observações ou depoimentos, e também os ops estarão à disposição para o atendimento fraterno.

Mundos de expiações e de provas

13. Que vos direi dos mundos de expiações que já não saibais, pois basta observeis o em que habitais? A superioridade da inteligência, em grande número dos seus habitantes, indica que a Terra não é um mundo primitivo, destinado à encarnação dos Espíritos que acabaram de sair das mãos do Criador. As qualidades inatas que eles trazem consigo constituem a prova de que já viveram e realizaram certo progresso. Mas, também, os numerosos vícios a que se mostram propensos constituem o índice de grande imperfeição moral. Por isso os colocou Deus num mundo ingrato, para expiarem aí suas faltas, mediante penoso trabalho e misérias da vida, até que hajam merecido ascender a um planeta mais ditoso.

Oração Final:

<PimentaDoce> Amigos, vamos então, encerrando mais esse momento de estudo e prece... sintonizemos com a Espiritualidade Amiga que esteve ao nosso lado durante toda essa atividade de aprendizado e reflexão...podemos :)) Jesus, o nosso coração está alegre com tantos ensinamentos. o nosso grupo nesse momento é um pequenino grupo... mas o nosso coração se eleva a Ti, querido amigo, com muita gratidão. Obrigada por que aqui pudemos estar. Saímos mais conscientes de nossa caminhada. Sabemos o de quê necessitamos fazer.
Temos um rumo seguro.
Obrigada, querido Amigo.
Obrigada, Amigos Espirituais.
Fortaleça-nos para que continuemos em nossa tarefa de reforma íntima, cada vez com mais Consciência...cada vez com mais Verdade...e, portanto, cada vez com mais Coragem. Que possamos continuar a nos beneficiar desse estudo de todos os sábados. Abençoa o nosso propósito de crescimento. Esteja sempre ao nosso lado.
E que assim seja!
Graças a Deus.