Morte em família

29/05/2003 - Como a Doutrina Espírita explica, dentro de uma família, filha criada com amor e carinho, por questões financeira participa da morte de seus pais? Caso que a imprensa divulgou recentemente, que aconteceu com uma família de São Paulo.

O Espiritismo nos ensina que as famílias são formadas por laços espirituais e laços materiais. No segundo caso são espíritos que tem problemas entre si, que já se odiaram, foram inimigos ou são indiferentes.

As famílias, quando equilibradas, evoluídas, amorosas, são formadas por grupos de espíritos afins. O resultado são famílias harmônicas, felizes, unidas. Entretanto, nenhuma família pode fechar-se no egoísmo e recebe espíritos estranhos ao grupo, e estes podem destoar, caracterizando-se como a ovelha negra da família.

De outras vezes, espíritos muito atrasados, na tentativa de evoluir, pedem para reencarnar numa família estabilizada, para usufruir os bons exemplos do grupo, e o pulso firme do chefe da família. Logicamente não temos como identificar qual a situação, das demonstradas, em que a jovem que participou do assassinato dos pais está incluída, mas com certeza, além dos problemas trazidos de outras vidas, há as influências atuais de pedantismo, desejo de liberdade sem limites, e a influência do consumismo, do desejo de gozar a vida sem cerceamento, disciplina e sem peias morais.

Não sabemos, também, o que se passava dentro do lar, como era o relacionamento entre os membros da família. Logicamente, nem tudo virá a publico, e não interessa que venha. Precisamos sim, trabalhar para que as famílias sejam unidas, compreensivas, amorosas, unidas.