Mecanismo de comunicação

Pergunta No. 26, Data: 25/04/2003

Pergunta: Em algumas religiões existem casos de comunicação em que os médiuns são influenciados, pelo espirito comunicante, a ingerir alcool, fumar, etc. Quais seriam os males para o corpo do médium nesses casos? Seriam essas substancias tão prejudiciais para o corpo do médium como são para uma pessoa que as usa normalmente? Existe algum tipo de proteção, uma vez que o médium, acredito eu, não esteja usando tais substancias por sua vontade?

Resposta: Prezado Ovande! Muitas vezes os Espíritos necessitam melhorar a vibração do ambiente onde está ocorrendo a manifestação e os médiuns encarnados não estão em boas condições vibracionais e nem colaboram para que haja a melhora do ambiente, então estes Espíritos apelam para certas práticas rudimentares, entre elas é se utilizar de tabaco e álcool para isto. O tabaco e os alcoólicos condensam forte carga de energia etérea e espiritual. Os pretos-velhos e pais-de-santo, tarimbados na velha magia africana, concentram o campo de forças do tabaco incinerado e da exalação do álcool, e praticam uma espécie de “ionização” rudimentar, mas capaz de acelerar a função de limpeza energética do ambiente. Quando os pretos-velhos ou pais-de-santo se utilizam do fumo e do álcool na sua terapêutica fluídica, eles dinamizam a sua energia oculta a lhe apuraram as qualidades etereo-espirituais, sob determinado processo de física transcendental. Os Espíritos aproveitam as energias etéreo-espirituais, embora os médiuns não apresentem sintomas de embriaguez ou cheiro do tabaco, os resíduos materiais destes produtos químicos estão no seu organismo intoxicando-o. Está prática nada tem haver com o Espiritismo. Na Doutrina Espírita aprende-se que devemos melhorar o ambiente através da elevação dos pensamentos e que devemos deixar de utilizar aparatos exteriores e sim cultivar a força que possuímos em nosso interior. Queremos aproveitar esse momento para tecer alguns comentários sobre o álcool e o fumo. A Doutrina Espírita nada proíbe, mas mostra ao homem, através da fé raciocinada, que ele é livre para realizar seus desejos, mas deve ter consciência das conseqüências boas ou más de seus atos. O ato de beber ou fumar jamais fez bem a quem quer que seja. As casas espíritas freqüentemente estão envolvidas no tratamento de pacientes que possuem problemas com o álcool e seria um contra-senso tal atitude. O cigarro é muito pior que bebida e droga pois não se sabe de alguém que fume 20 ou 30 baseados de maconha por dia. O cigarro é aceito como normal mas é o maior domínio trevoso que existe sobre o Planeta. É através dos alcoólicos e fumantes que as regiões infernais mais se abastecem de energia. Principalmente o cigarro é uma praga que precisa ser eliminada urgentemente, juntamente com os demais vícios. Os danos desses três vícios são terríveis, os do cigarro são piores pois são repassado pelos exemplos dos pais para os filhos, dos médicos para os pacientes, dos espíritas e demais religiosos viciados para seus seguidores. E sem dúvida nenhuma afeta todas as estruturas do corpo físico e dos corpos espirituais, terrivelmente. Todo o indivíduo que se encontra engajado nos labores mediúnicos, seja qual for a ocupação, deveria abdicar do uso dos alcoólicos em seu regime alimentar. Isto porque o álcool traz múltiplos inconvenientes para a estrutura da mente equilibrada, considerando-se sua toxidez e a rápida digestão de que é alvo, facilitando grandemente que, de modo fácil, o álcool entre na corrente sangüínea do indivíduo, fazendo seu efeito característico. Mesmo os inocentes aperitivos devem ser evitados, tendo-se em mente que o médium é médium as vinte e quatro horas do dia, todos os dias, desconhecendo o momento em que o Mundo Espiritual necessitará da sua cooperação. Além do mais, quando se ingere uma porção alcoólica, cerca d 30% são rapidamente eliminados pela sudorese e pela dejeção, mas cerca de 70% persistem por muito tempo no organismo, fazendo com que alguém que, por exemplo, haja-se utilizado de um aperitivo na hora do almoço, à hora da atividade noturna não esteja embriagado, no sentido comum do termo, entretanto, estará alcoolizado por aquela porcentagem do produto que não foi liberada do seu organismo.

http://www.rjeonline.com